Governo Federal reduz alíquota de importação de skates de uso profissional de 20% para 2%


Publicada em: 20/04/2021

Fonte: Ministério da Cidadania

A lista de deliberações da 5ª Reunião Extraordinária de 2021 do Comitê-Executivo de Gestão (Gecex), divulgada nesta terça-feira (20), traz a aprovação de uma Minuta de Resolução que terá impacto direto nos profissionais de skate. A novidade é a criação de destaque tarifário para skates de uso profissional, que passarão a ter uma alíquota de imposto de importação de 2%, e não mais de 20%. A conquista para o skate nacional é fruto de pedido realizado pela Confederação Brasileira de Skate (CBSk) à Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, em janeiro de 2021.

“Agora, a gente vai conseguir receber materiais importados no Brasil a um preço justo, de mercado. O Brasil já é produtor de materiais de qualidade, e essa facilidade também potencializa o mercado interno de alguma maneira porque deve aprimorar e tornar a produção nacional mais competitiva. É uma vitória muito grande do skate nacional”, destaca Eduardo Musa, presidente da CBSk.

“Eu acho que foi uma grande conquista. Ando de skate há 36 anos e a gente nunca teve benefício por ser profissional em relação a equipamentos ou acessórios”, afirma Sandro Dias, o Mineirinho, dono de sete medalhas nos X Games (três ouros, duas pratas e dois bronzes) e diretor de Esportes da CBSk.

“Temos bons materiais no Brasil, mas os importados sempre foram um pouco superiores, sem desmerecer os que existem hoje no nosso país, que são muito bons. Sempre foi difícil ter acesso a equipamentos importados pela questão do imposto. Eu mesmo já levei equipamentos e parei por conta disso. Com essa redução as coisas vão ficar mais fáceis para o skate brasileiro. É um esporte que cresce rápido no nosso país. Para os profissionais, foi uma grande conquista. Estou feliz, porque sei que a decisão vai ajudar bastante o skate profissional brasileiro a continuar desempenhando em alto nível. Queria agradecer ao governo, que realmente enxergou essa necessidade para o nosso esporte e conseguiu nos ajudar. Confesso que achei que isso nunca fosse acontecer”, completa Sandro Dias, que hoje que vive em Temecula, na Califórnia (EUA).

Segundo Marcelo Magalhães, secretário Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, a redução da alíquota de importação do skate pode representar o início de um processo que permita que novas minutas sejam aprovadas para que o mesmo ocorra com equipamentos de outras modalidades.

“Essa decisão beneficiará diretamente nossos atletas do skate, modalidade que é uma das esperanças de medalhas para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Na verdade, ela trará benefícios a toda a cadeia desse esporte”.

“O custo de importação desses equipamentos não é baixo e a alta do dólar dificulta ainda mais a importação. Os atletas do Brasil estão entre os melhores do mundo no skate, mas, para isso, precisam estar em condição de igualdade com adversários no que diz respeito ao equipamento. Esperamos que com a nova alíquota mais atletas possam ter acesso a equipamentos de primeiríssima linha e, assim, possam desenvolver ainda mais seus talentos para representar bem o Brasil nos grandes eventos mundiais”, completa o secretário.




apoios