BERNARDO BRAMBILA LEVA TEUTÔNIA


Publicada em:

Texto: Ivandro Mano / Fotos: Ceschini

Final Open

A corrida mais rápida do mundo provou que quatro competidores podem ter lugar neste local estreito e louco.

Depois de 12 anos de corrida neste pavimento, é mais difícil do que nunca.

Quando o promotor anunciou para o décimo terceiro ano, haveria um novo formato na colina lendária, podia-se sentir o medo em todas as postagens em todo o mundo.

Muitos pilotos expressaram suas preocupações e entusiasmo com este novo formato no novo anúncio.

Teutônia é um local muito singular, você pode ir mais rápido em outras ladeiras, mas nenhum delas é tão perigoso e assustador devido ao pavimento áspero e a trilha estreita.

 

Final Feminino

IGSA e ASKAVATA, o promotor local da Teutônia, levaram em consideração quão importante é a segurança neste local e ofereceu a maior segurança possível.

Para a segurança, mais de 5000 fardos de feno, quando alocados ao longo da estrada, 02 ambulâncias com médicos, resgate de veículos paramédicos e bombeiros.

Além disso, uma equipe notável de organizadores de corrida em Teutônia que não fugiu e aceitou a tarefa ainda mais desafiadora deste ano para torná-lo o mais seguro possível.

A qualificação começou às 08 horas do sábado com a previsão do tempo mostrando fortes chuvas atingindo o local até as 13 horas.

Trabalharam muito para obter 02 corridas de qualificação para cada piloto em cada uma das 10 categorias.

Final Iniciante

O triste foi não ter conseguido utilizar adequadamente o sistema de transponder pela primeira vez, o que teria dado cada descida várias tomadas de tempo para qualificação.

A chuva chegou no horário previsto as 13 horas no sábado e não parou até o domingo ao meio dia.

Após cerca de uma hora, a pista secou e permitiu que as corridas recomeçassem.

Foi quando a multidão com mais de 3000 espectadores começaram a chegar que alinhavam na estrada até o final do evento onde havia Sol brilhando.

A grande final da Open teve Yan Bertinati, Douglas Dalua, Bernardo Brambila e Bruno Spengler.

Enquanto todos esperavam que Dalua levasse seu 4º campeonato e que Yan Bertinati tentasse retirá-lo, a enorme multidão ficou surpresa ao ver Bruno Spengler e Bernardo Brambila cruzando a linha de chegada na mesma fração de segundo.

Final Master

Depois de analisar cuidadosamente as fotos, os oficiais da IGSA declararam Bernardo Brambila, o rei de Teutônia!

Após 03 dias de intenso trabalho, nenhum gravemente ferido e a grande festa continuou durante a famosa cerimônia de premiação, quando a noite caiu na ladeira de Downhill mais assustada do mundo.

O comparecimento de participantes de 12 países diferentes, 139 inscritos, 10 categorias, mais de 3000 espectadores no domingo, música, arte urbana, foram apenas parte dos ingredientes dessa corrida histórica.

Agradecimentos especiais para esses dois que são dedicados, trabalhando e com os melhores corações do mundo: Alexandre Maia e Ivandro da Silvera.

OPEN

1.   Bernardo Brambilla (Brasil)

2.   Bruno Splenger (Brasil)

3.   Douglas Dalua (Brasil)

4.   Yan Bertinati (Brasil)

FEMININO

1.   Josefa Porter (Chile)

2.   Vitoria Malimann (Brasil)

3.   Melissa Brogni (Brasil)

4.   Sabrina Ambrosio (Argentina)

INICIANTE

1.   Murilo Araujo (Brasil)

2.   Erony Neto (Brasil)

3.   Santiago Martin (Argentina)

4.   Alexandre Trindade (Argentina)

MASTER

1.   Jorge Galasso (Brasil)

2.   Luciano Pauletti (Brasil)

3.   Dácio Toco (Brasil)

4.   Guilherme Chiele (Brasil)

GRAND MASTER

1.   Ivandro Silveira (Brasil)

2.   Flavio Cegonha (Brasil)




apoios