Categorias


Desde 2004, a Confederação Brasileira de Skate (CBSk) estabeleceu uma norma denominada PADRONIZAÇÃO DA NOMENCLATURA DAS CATEGORIAS.

Assim, os promotores, realizadores e/ou organizadores de competições de Skate devem respeitar esta norma, seguindo a nomenclatura conforme abaixo:

Feminino Infantil (meninas nascidas em 2012)

Feminino 2 (meninas nascidas em 2011 ou antes e competindo nesta categoria por até 4 anos)

Feminino 1 (moças independente de sua idade e que competiram por mais de 4 anos no Feminino 2)

Infantil (meninos nascidos em 2012 ou depois ou até 5 anos competindo nesta categoria)

Mirim (Sub-12 - meninos nascidos nos anos de 2008, 2009, 2010 e 2011 / tempo mínimo de 3 anos de permanência)

Iniciante (Sub-15 - meninos nascidos nos anos de 2005, 2006 e 2007 / tempo mínimo de 2 anos de permanência, com possibilidade de progressão de categoria por avanço técnico)

Amador (rapazes nascidos em 2004 ou anos anteriores a esse)

Feminino Master (mulheres nascidas entre 1981 e 1990)

Feminino Grand Master (mulheres nascidas em 1980 ou anos anteriores a esse)

Master (homens e mulheres nascidos entre 1981 e 1985)

Grand Master (homens e mulheres nascidos entre 1976 e 1980)

Legend (homens e mulheres nascidos entre 1971 e 1975)

Grand Legend (homens e mulheres nascidos em 1966 e 1970)

Vintage (homens e mulheres nascidos em 1965 ou anos anteriores a esse)

Feminino Profissional (mulheres independente da idade aprovadas pelo Comitê de profissionais de sua modalidade)

Profissional (homens e mulheres aprovados pelo Comitê de profissionais de sua modalidade ou profissionalizados antes de 1999)

Pro Master (homens e mulheres nascidos entre 1976 e 1980 aprovados pelo Comitê de profissionais de sua modalidade ou profissionalizados antes de 1999)

Pro Legend (homens e mulheres nascidos em 1975 ou antes aprovados pelo Comitê de profissionais de sua modalidade ou profissionalizados antes de 1999)

Paraskatista (homens ou mulheres não profissionais independente da idade com algum tipo de deficiência física ou visual)

Esclarecemos que esta padronização surgiu porque a maioria dos Estados brasileiros já a utilizam, facilitando a assimilação pelo restante, como foram definidas pelo Conselho Old School CBSk.

Lógico que não será obrigatória a inclusão de todas estas categorias numa competição, mas deverá ser respeitado a nomenclatura pelo menos.

Porém se num torneio os organizadores disponibilizam somente a categoria, por exemplo, Amador, os infantis, mirins, iniciantes e masters podem correr no Amador sem prejuízo de terem que permanecerem nesta categoria a partir desta data.

O mesmo ocorre com as meninas do Feminino Infantil, Feminino 2 e Feminino Master que poderiam neste caso participar juntos no Feminino 1 sem serem obrigadas a subirem de categoria.

Contudo se num campeonato um skatista, mesmo sendo oferecido sua categoria, competir numa categoria com nível técnico superior estará optando por subir de categoria e não poderá mais participar da mais ´fraca´.

Também é expressamente proibido um skatista competir no mesmo campeonato em duas categorias diferentes.

E há necessidade de verificar e fiscalizar se o participante realmente faz parte da categoria que ele pleiteia. É possível realizar a verificação nos rankings da CBSk ou da federação do Estado do competidor, além do promotor do campeonato solicitar o RG ou certidão de nascimento durante a fase de inscrição.

Desta forma estaremos evitando o desestímulo dos competidores das categorias de base em estarem disputando com skatistas de nível superior aos deles injustamente.

A intenção da Confederação Brasileira de Skate é que gradativamente este padrão de nomenclatura seja aceito pelos promotores realizadores e organizadores de eventos, principalmente por aqueles que procuram a CBSk para oficializar seus circuitos amadores.




apoios